12 de mai de 2014

VIVENDO E APRENDENDO A VIVER

             Interessante como o modo que percebemos o mundo e as pessoas à nossa volta é modificado ou aprimorado conforme nossas vivências. Principalmente se essas vivências forem sofridas para nós. Recentemente tive, e ainda estou tendo, a experiência de depender das pessoas para me locomover, tomar banho, preparar um café... coisas simples do meu dia-a-dia que eu fazia quase sem perceber.

            Procuro sempre me colocar no lugar do outro e respeitar suas reivindicações mesmo que eu não as entenda perfeitamente. Mas nada se compara a viver, um tantinho que seja, a experiência que outros vivenciam diariamente.

            Vivi a experiência de pensar em seguir numa direção e a pessoa que guiava minha cadeira de rodas ir para a outra. Também a experiência de receber muito mais atenção, ajuda e palavras doces de pessoas que nunca me viram antes, mas também de pessoas que fingiam não me ver para não precisar ajudar ou ceder espaço. Percebi que a maioria das pessoas sente-se feliz e realizada em ajudar, e que a melhor forma de agradecer é saber aceitar essa ajuda com humildade.

            A locomoção, mesmo em locais apropriados, é bem deficiente: Caixas 24 horas, de diversos bancos, não possuem balcão numa altura apropriada para cadeirantes ou anões, por exemplo, e entre as caixas de um supermercado, várias não tem largura suficiente para a saída de uma cadeira de rodas. Fico imaginando as experiências que eu NÃO tive, como: pegar um ônibus, andar pelas calçadas da cidade, entrar em locais onde ainda não existem rampas, etc.

            Por isso, mesmo que pareça absurda a reivindicação ou queixa de outra pessoa, procure colocar-se no lugar dela. Se mesmo assim não for possível compreender, apenas respeita e acata. Só quem sofre é que sabe, realmente. Os demais apenas supõem.

(Da série:"Aconteceu ou poderia ter acontecido")

2 comentários:

  1. É isso mesmo! Mais que empatia, a vivência. Elas andam juntas uma reforçando a outra
    Parabens, amei teu blog

    ResponderExcluir
  2. Olá,Boa noite,Professora Rejane
    sim, mui belo,vivendo e aprendendo... ao se colocar no lugar do outro, começamos a entender que as diferenças entre as pessoas são maiores do que as que nos ensinaram a ver e assim podemos desenvolver uma atitude de real tolerância diante do variado, a respeito de quase tudo e passamos a enxergar com objetividade...
    Espero que JÁ esteja bem melhor...Deus te abençoe!
    Obrigado pelo carinho,belo final de semana,bom domingo,beijos!

    ResponderExcluir