27 de jul de 2011

O poder do preconceito

Esse vídeo é referente a uma pesquisa, bastante conhecida até, em que um pesquisador entrevista diversas crianças negras e as pede que definam duas bonecas, uma branca e a outra negra, como feia ou bonita, boa ou má. É um vídeo um pouco antigo e realizado nos Estados Unidos porém, infelizmente, é uma realidade ainda presente também no Brasil.



Essa pesquisa além de ser muito cruel é também pouco científica. É pouco científica porque induz as crianças a acreditarem que existe uma boneca boa e outra má, uma feia e outra bonita. As crianças, nessa pesquisa, não estão livres para decidirem se há ou não uma boneca feia ou má.  É cruel porque após as crianças definirem como sendo a boneca negra, feia e má é feita a pergunta final: “Qual das duas bonecas se parece com você?”

De qualquer forma o preconceito existe e a baixa autoestima decorrente dele ainda é muito grande na maioria dos casos. Não há dúvida de que é urgente lutar para acabar com todo e qualquer tipo de preconceito e discriminação.

23 de jul de 2011

34 velhos “deitados”...


  1. Água mole em pedra dura, tanto bate até que molha tudo.
  2. Alegria de pobre é difícil.
  3. Antes tarde do que mais tarde ainda.
  4. Águas passadas, já passaram.
  5. Boca fechada não fala.
  6. Devagar se chega tarde.
  7. Depois da tempestade, vem a gripe.
  8. Em terra de cego, quem tem um olho é caolho.
  9. É dando que se engravida
  10. Família que reza unida, é religiosa pacas.
  11. Gato escaldado, morre.
  12. Há males que vem para pior.
  13. Nem tudo que balança, tá no parquinho.
  14. Nem tudo que dá luz, reluz.
  15. Os últimos serão desclassificados.
  16. O pior cego, é aquele que anda sem bengala.
  17. Pau que nasce torto,urina no chão.
  18. Quando um não quer, o outro insiste.
  19. Quem ri por ultimo é retardado
  20. Quem cedo madruga, fica com sono o dia todo.
  21. Quem não deve, não deve.
  22. Quem vê a cara, não vê o resto.
  23. Quando um não quer o outro vira de lado.
  24. Quem tudo quer, tudo tem.
  25. Quem casa, se estrepa.
  26. Quem espera, sempre cansa.
  27. Quem da aos pobres ainda tem que pagar o motel.
  28. Quem não tem cão, não caça.
  29. Quem dá aos pobres, adeus.
  30. Quem ama o feio, é cego.
  31. Quem com ferro fere, não sabe como dói.
  32. Quem tem boca, vai ao dentista.
  33. Quem tem boca, fala. Quem tem grana é que vai a Roma!
  34. Sol e chuva vou sair de guarda-chuva.

15 de jul de 2011

Espírito crítico ou “Papagaiada”?

Qual é o papel da escola e, mais especificamente, de cada professor em sala  de aula para com seus alunos? De ensinar a ler, escrever, somar? De educar?

É comum ouvir de educadores que um dos principais papeis da escola é o de formar cidadãos críticos. E como se forma sujeitos críticos? O que é um sujeito crítico? Ser crítico é mais do que ser capaz de interpretar uma informação, é poder opinar sobre um assunto, discordando ou concordando, utilizando-se de suas próprias reflexões e livres de pré-conceitos.

Mas e os educadores de um modo geral são pessoas críticas? São pessoas acostumadas a pensar, analisar e agir a partir de suas próprias conclusões?
Esses dias em uma reunião de amigas, todas professoras ou psicopedagogas, surgiu um tema polêmico: o famoso livro do MEC que “ensina a falar errado”. Todas ao redor da mesa começaram a fazer discursos inflamados, indignados sobre o tal livro dizendo que era um absurdo distribuir livros que aceitam e ensinam crianças a falar de forma errada, desconsiderando a linguagem formal. A questão aqui não é se o livro é bom ou ruim mas sim o fato de que todas as professoras e psicopedagogas reunidas naquele momento não tinham sequer visto o livro em pauta. Falavam a partir do discurso de terceiros e que, provavelmente, também não haviam lido ou quem sabe, lido apenas parte dele.

E são essas mesmas profissionais que discursam, também de forma emocionada, sobre a importância de se formar sujeitos críticos, reflexivos, que pensem por si. Mas será que é possível formar cidadãos autônomos, críticos e livres quando não se consegue ser livre para pensar, também?

É só um desabafo...

12 de jul de 2011

As diferentes formas de amor e de amar

As imagens abaixo foram retiradas da Internet e buscam representar algumas das muitas formas existentes de amor:


Amor irmão, amor amigo...










Amor de fã..


Amor persistente...







Amor de filho, de mãe, de pai...










Amor homoafetivo...




Amor heteroafetivo..


Amor família...








Amor em Deus...


Amor platônico...




Amor bandido...






Amor pelo time...





Amor pelos livros...


Amor Virtual...



Amor animal...










Amor solidário...




Amor... 
O importante nessa vida é ser feliz e só há felicidade no amar, no querer bem, no respeitar, no admirar...a si e ao próximo! 

3 de jul de 2011

As Diferenças entre Religião e Espiritualidade


A religião não é apenas uma, são centenas.
A espiritualidade é apenas uma.
A religião é para os que ainda estão despertando.
A espiritualidade é para os que já estão despertos
.


A religião é para aqueles que necessitam que alguém lhes diga o que fazer e querem ser guiados.
A espiritualidade é para os que prestam atenção à sua Voz Interior.
A religião tem um conjunto de regras dogmáticas.
A espiritualidade te convida a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo.

A religião ameaça e amedronta.
A espiritualidade lhe dá Paz Interior.
A religião fala de pecado e de culpa.
A espiritualidade lhe diz: "aprenda com o erro".

A religião promete para depois da morte.
A espiritualidade é encontrar Deus em Nosso Interior durante a vida.
A religião é a fase da procura de Deus.
A espiritualidade é para os que já descobriram o nosso Deus Interior.

A religião reprime tudo, te faz ser bom por medo.
A espiritualidade transcende tudo, te faz verdadeiramente bom!
A religião não é Deus.
A espiritualidade é Tudo e, portanto é Deus.

A religião cria.
A espiritualidade descobre.
A religião não indaga nem questiona.
A espiritualidade questiona tudo.

A religião é humana, é uma organização com regras.
A espiritualidade é Divina, sem regras.
A religião é causa de divisões.
A espiritualidade é causa de União.

A religião lhe busca para que acredite.
A espiritualidade você tem que buscá-la.
A religião segue os preceitos de um livro sagrado.
A espiritualidade busca o sagrado em todos os livros.

A religião se alimenta do medo.
A espiritualidade se alimenta na Confiança e na Fé.
A religião faz viver no pensamento.
A espiritualidade faz Viver na Consciência.

A religião se ocupa com fazer.
A espiritualidade se ocupa com Ser.
A religião alimenta o ego.
A espiritualidade nos faz Transcender.

A religião nos faz renunciar ao mundo.
A espiritualidade nos faz viver em Deus, não renunciar a Ele.
A religião é adoração.
A espiritualidade é Meditação.

A religião sonha com a glória e com o paraíso.
A espiritualidade nos faz viver a glória e o paraíso aqui e agora.
A religião vive no passado e no futuro.
A espiritualidade vive no presente.

A religião enclausura nossa memória.
A espiritualidade liberta nossa Consciência.
A religião crê na vida eterna.
A espiritualidade nos faz conscientes da vida eterna.

 

Autor: Guido Nunes Lopes - Físico 


Fonte:http://www.luispellegrini.com.br/index.php?s=diferen%C3%A7as+entre+religi%C3%A3o+e+espiritualidade

 

2 de jul de 2011

Expressões e Significados

As expressões populares fazem parte da língua falada pelas pessoas, e o que as caracterizam, em geral, é o fato de não ser possível identificar o seus significados mediante o sentido literal dos termos individualmente. Por essa razão é que na maioria dos casos é praticamente impossível sua tradução para outras línguas. Suas origens são diversas: surgidas de outros países; criadas por escritores e adotadas pela sociedade; gírias com uso por tempo prolongado e que acabaram se tornando expressões, etc. São fáceis de decorar e transmitir em função de seu formato simples, curto e direto.
As expressões populares ditam sobre diversos assuntos e, em sua maioria, têm a função comparativa com diversos assuntos, como animais,modo de agir,modo de pensar, enquanto que os ditados, em geral, servem como advertência, alerta ou possuem um sentido construtivo.
Abaixo, algumas expressões populares com seus respectivos significados:

Amarrar a cara: Significa zangar-se, ficar contrariado, fechar a cara. Exemplo: Depois de ter sido surpreendida pelo professor, ela amarrou a cara até o fim da aula.

Abraço de Tamanduá: Para capturar sua presa, o tamanduá se deita de barriga para cima e abraça seu inimigo. O desafeto é então esmagado pela força. Abraço de tamanduá é sinônimo de deslealdade, traição.


Bafo de onça: O bafo de onça é uma coisa horrível. Dá impressão de que a pessoa não escova os dentes ou tem um monte de cáries. E para chegar àquele gato fica muito complicado devido ao mau hálito. Beijar, então, nem pensar. A onça é animal carnívoro e se lambuza na hora de comer a caça, por isso fede muito e sua presença é detectada à distância na mata. Devido a isso, o hálito fétido passou a se chamar popularmente de bafo de onça. Que significa também o hálito de quem está (ou esteve) alcoolizado. Mais uma expressão do mundo rural que é usada no mundo urbano. (Autor da pesquisa: Hélio Consolaro)


Cair como um patinho: Significa ser totalmente enganado.  Exemplo: Ele caiu como um patinho naquela armadilha.


Chorar lágrimas de Crocodilo: É uma expressão usada para se referir ao choro fingido. O crocodilo, quando ingere um alimento, faz forte pressão contra o céu da boca, comprimindo as glândulas lacrimais. Assim, ele chora enquanto devora a vítima.


Calcanhar de Aquiles: De acordo com a mitologia grega, Tétis, mãe de Aquiles, a fim de tornar seu filho indestrutível, mergulhou-o num lago mágico, segurando-o pelo calcanhar. Na Guerra de Tróia, Aquiles foi atingido na única parte de seu corpo que não tinha proteção: o calcanhar.


Cara de quem comeu e não gostou: Tem o sentido de cara que expressa irritação ou mesmo mau-humor. Exemplo: Seus planos não deram certo e ele chegou em casa com cara de quem comeu e não gostou.


Catar milho:  Segundo o dicionário Aurélio, ela significa datilografar, digitar muito vagarosamente. A expressão catar milho mostra a influência do mundo rural no urbano. Milho aqui está no lugar de grão: grão de milho, que é parte da espiga.
Se alguns grãos caem no chão, se esparramam, cata-se um por um, como as galinhas fazem com o bico no terreiro quando se joga milho para elas.
Catar milho tem um sentido metafórico, porque datilografar ou digitar lentamente, com um dedo só de cada mão, próprio de quem não fez curso para adquirir agilidade nessa tarefa, é semelhante ao ato de catar cada grão de milho no chão. (Autor da pesquisa: Hélio Consolaro)


Chorar de barriga cheia: Reclamar sem motivo, pois já conseguiu o que queria. Exemplo: Você já ganhou os presentes que queria, portanto pare de reclamar, pare de chorar de barriga cheia.


Com o rabo entre as pernas:Tem o sentido de estar humilhado, envergonhado, como um cachorro que é enxotado de algum lugar. Exemplo: Ele foi advertido na frente de todos por ter feito o que não devia e saiu da sala com o rabo entre as pernas.


Dar as caras: Significa aparecer. Exemplo: Faz muito tempo que ele não dá as caras por aqui.


Dar com os burros n'água: Sair-se mal, fracassar. Exemplo: Ele quis bancar o espertinho e acabou dando com os burros n'água. Bem feito!


Dar com as línguas nos dentes: Revelar um segredo, falar o que não devia. Exemplo: Eu disse que não podíamos confiar naquele sujeito! Ele deu com a língua nos dentes e contou a outras pessoas o nosso plano.


Dar o braço a torcer: Significa reconhecer um erro ou uma derrota. Exemplo: Ele não tem razão nesse caso mas não quer dar o braço a torcer.


Dar com o pau: Fugir. Ou pode também ser "em abundância". O pau figura em várias expressões. Figura "a dar com o pau". A origem vem dos navios negreiros. Os negros preferiam não comer par morrer durante a travessia. Então foi criado o "pau de comer", que era atravessado na boca dos escravos e os marinheiros jogavam sopa e angu lá dentro "a dar com o pau".


Dizer cobras e lagartos: Significa dizer coisas que ofendem outra pessoa. Exemplo: Ele ficou nervoso e disse cobras e lagartos de seu chefe.


Dormir no ponto: Quer dizer descuidar-se, não agir na hora certa. Taxista que dorme no ponto perde corrida. Exemplo: Ele dormiu no ponto, perdendo a oportunidade de fazer um bom negócio. 


Ficar de olho: Significa vigiar. Exemplo: Fique de olho naquele sujeito e me avise quando ele sair do bar.


Ficar de queixo caído: Significa ficar muito admirado. Exemplo: Ele ficou de queixo caído quando viu o espetáculo. Nunca tinha visto nada tão bonito.




Ir por água abaixo: Não dar certo, falhar. Exemplo: Nossos planos foram por água abaixo.


Não dar ponto sem nó:Tem o sentido de fazer alguma coisa sempre pensando em tirar proveito pessoal, fazer algo com segunda intenção. Exemplo: Ele é interesseiro, só faz o que pode lhe trazer vantagem; ele não dá ponto sem nó.


Pagar na mesma moeda: Fazer a uma pessoa o mesmo que ela nos fez. Exemplo: Ele sempre me recebeu muito bem em sua casa, por isso devo pagar na mesma moeda e recebê-lo bem em minha casa.


Pagar o pato: Significa fazer o papel de tolo, pagando por aquilo que não deve. Exemplo: Ele não participou da briga mas, no fim, pagou o pato: foi o único homem preso pela polícia.


Quebrar o galho: Significa dar um jeito pra resolver um problema ou uma situação complicada. Exemplo: Ele não tinha convite para a festa, mas o porteiro quebrou o galho, deixando-o entrar pela porta dos fundos.




Querer sombra e água fresca: Significa querer uma vida despreocupada, sem trabalho. Exemplo: Esse sujeito é malandro, só quer sombra e água fresca.


Querer tapar o sol com a peneira: Significa querer esconder o que todos estão vendo. Exemplo: Não adianta querer tapar o sol com a peneira; todos já perceberam que vocês dois estão apaixonados.


Sair o tiro pela culatra: Significa que a intenção de prejudicar alguém volta-se contra o próprio autor. Exemplo: Ele fez isso pensando em enganar os outros e, no fim, o único prejudicado foi ele mesmo. O tiro saiu pela culatra!


Ser Sem Eira Nem Beira: Os telhados de antigamente possuíam eira e beira, detalhes que conferiam status ao dono do imóvel. Possuir eira e beira era sinal de riqueza e de cultura. Não ter eira nem beira significa que a pessoa é pobre, está sem grana.


Tirar a barriga da miséria: O leitor Nélson de Souza contou-me num rápido encontro de rua que viveu uma situação de constrangimento quando convidou seu amigo e família para almoçarem em sua casa num certo domingo.
Quando tudo estava posto, depois de tomar algumas cervejas, o anfitrião disse, todo satisfeito:
- Gente, a mesa está posta. Venham tirar a barriga da miséria!
O visitante, irritado, respondeu:
- Em casa, nós comemos muito bem! Ninguém é mendigo, nem veio esmolar!
A família visitante quase deixou o almoço na mesa, não chegou a tanto, mas a gostosa comida, feita com muito carinho, quase não descia.
O visitante agiu com muito rigor, foi ríspido. Tirar a barriga da miséria, conforme o dicionário Houaiss, quer dizer aproveitar com muito prazer alguma coisa de que até então carecia.



Tomar chá de sumiço: Tem o sentido de desaparecer de um lugar que se costumava freqüentar, sem dar notícia. Exemplo: Quando percebeu que a polícia estava atrás dele, o sujeito tomou chá de sumiço.

Ter memória de Elefante: O elefante lembra-se de tudo aquilo que aprende, por isso é uma das principais atrações do circo. Diz-se que as pessoas que se recordam de tudo tem memória de elefante.


Ter olhos de Lince: Ter olhos de lince significa enxergar longe, uma vez que esses bichos têm a visão apuradíssima. Os antigos acreditavam que o lince podia ver através das paredes.

 

Ter Estômago de Avestruz :Define aquele que come de tudo. O estômago do avestruz é dotado de um suco gástrico capaz de dissolver até metais.




Sites pesquisados: