25 de fev de 2011

Um Negro Rico e Galã?

O texto que quero compartilhar com vocês foi retirado de uma comunidade do Orkut da qual faço parte. Não sei muito bem explicar o que senti mas me fez bem lê-lo.Transmitiu a mim uma espécie de desabafo, satisfação e força...


 

Um Negro Rico e Galã?

       

                      

Olá, sou Psicólogo e elaborei um texto para Lermos e Refletirmos...

Insensato Coração: nova Novela da Rede Globo promete, pois...

Foram preciso mais de ‘260’ novelas exibidas em ’46 anos’ de Rede Globo para colocar no “horário nobre” da TV um Ator Negro “Homem” (Lázaro Ramos), como um dos protagonistas e que vive o papel de um homem bem-sucedido, rico e “GAL” na trama! Aleluia...

Já estava na hora da famosa e "solidária" rede globo deixar para o ator NEGRO o espaço para esse tipo de personagem (ser rico e galã), sendo ela tão defensora da igualdade racial... (Ressalto aqui atores negros homens, pois mulheres atrizes negras já existiam como protagonistas!).

Finalmente, as crianças negras deste BRASIL, principalmente os meninos (negros/pardos) terão com quem se identificar na mídia, já que antes existia apenas como padrão de beleza e riqueza atores como Reinaldo Gianeccini, Thiago Lacerda, Fábio Assunção ou José Mayer (todos considerados brancos) etc.

Aliás, seria até injusto continuar assim, já que de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 49,5% da população brasileira é considerada negra e/ou parda no país. Ou seja, quase a metade! Imaginem o processo de construção de identidade e da auto-estima dessas crianças e jovens pertencentes a essa ‘outra metade’ do Brasil excluída por todos esses anos...

Assim sendo, como ser livre, decente, rico e galã se na Televisão (telenovelas) só transmitiam a imagem do negro sendo de escravo, ladrão, pobre e feio há mais de 40 anos?

Nesse sentido, independente do caminho do qual irá tomar o “personagem do Lázaro Ramos na novela”, precisamos ainda percorrer uma ‘longa’ estrada rumo à justiça e à igualdade social; enquanto isso, vale à pena continuarmos sonhando, lutando e assistindo... 

Viva a democracia, viva a diversidade etno-cultural, viva a pessoa humana! Todos os seres humanos telespectadores ‘coloridos’ desse país agradecem!                                           
Édi Queiroz